Conferência Intercultural da SIETAR Brasil, dia 8 e 9 de setembro 2013 em São Paulo

Nesta conferência vamos investigar a interface entre as relações interculturais domésticas e internacionais

Será que os princípios interculturais aplicam-se igualmente às diversas culturas dentro de um país e entre países? Como pode a diversidade cultural nacional e a identidade multicultural facilitar o caminho para a cooperação internacional bem-sucedida? Como a comunicação intercultural contribui para a justiça social e a ética pessoal?

Folie1

AGENDA

5 a 7/set – Pre-Conference Workshop com Milton Bennett, ‘Constructivist Foundations of Intercultural Communication’ 
8 e 9/set –  2ª Conferência SIETAR Brasil – Horários:

  • 9:00-9:45 Welcome coffee e credenciamento.
  • 9:45-18:00 Palestras.

PALESTRAS CONFIRMADAS

ABERTURA 
PALESTRANTE: Milton Benett
TÍTULO: O Imperativo Ético da Reconciliação Intercultural
RESUMO: Nós, interculturalistas, rapidamente afirmamos que entendemos como funciona a comunicação dentro e entre grupos culturais. Porém, muitas vezes, nós subestimamos a responsabilidade ética que acompanha este entendimento. Ao apoiar distinções culturais, sejam elas nacionais, regionais ou entre grupos étnicos, nós involuntariamente contribuímos para a violência intergrupal – a tendência dos que estão inseridos num grupo em destruir suas tenebrosas sombras, os que estão fora do grupo. Esta apresentação irá discutir sobre a eficácia das duas “soluções” mais comuns à violência intergrupal: evitar julgamentos ou enfatizar a comunalidade. Ao invés disso, os grupos devem constantemente conciliar suas diferenças com os outros, e nós, interculturalistas temos uma responsabilidade ética em facilitar este processo.SOBRE O PALESTRANTE: Dr. Milton J. Bennett dirige o Instituto de Desenvolvimento Intercultural, localizado em Milão, Itália e Oregon, EUA. Seu livro “Conceitos Básicos de Comunicação Intercultural: Paradigmas, Princípios e Práticas” recentemente revisado, foi publicado em chinês (Universidade de Pequim) com previsão de lançamento em Inglês para Setembro de 2013 (Intercultural Press).

OUTRAS PALESTRAS

PALESTRANTE: Hanna Maria Helstelä

TÍTULO: Liderança global: um desafio para executivos brasileiros?

RESUMO: A globalização da economia coloca grandes desafios para executivos no mundo inteiro. No contexto global são requeridos habilidades e competências de liderança diferentes do que num contexto meramente nacional. A competência intercultural desempenha um papel importante, mas não garante por si só o sucesso em negócios internacionais ou globais. Nos últimos anos, novos conceitos sobre ‘Liderança Global’ vêm surgindo. O que deve se entender sob ‘Liderança Global’ e em que sentido ela difere dos tradicionais conceitos existentes de liderança é uma das questões norteadoras desta palestra. Baseado em estudos sobre liderança no Brasil, iremos analisar como os executivos brasileiros estão preparados para enfrentar os desafios globais. O Brasil tem sido um país de imigração ao longo dos séculos e por isso apresenta uma diversidade cultural maior do que qualquer outro país no mundo. Lidar com as diferenças culturais faz parte da vida cotidiana do brasileiro. Os líderes brasileiros têm, por conseguinte, uma vantagem diante dos  seus colegas executivos de outros países em termos de competência intercultural? E se tomamos o conceito de ‚Liderança Global’ como referência, como deveríamos avaliar a prática de liderança no Brasil diante de tais exigências ampliadas?

Pontos principais da palestra:
• A globalização da economia mundial e a situação brasileira
• Exigências para o exercício de liderança no mundo global
• Características peculiares de ‘Liderança Global’
• Executivos brasileiros a luz de competência intercultural e de ‘Liderança Global’

Acesse à apresentação aqui.

SOBRE A PALESTRANTE:  A finlandesa Hanna Maria Helstelä cresceu na Alemanha, onde se graduou e fez mestrado em ciências da administração pela Universidade de Constança. Atuou por vinte anos na área de desenvolvimento pessoal e organizacional na Daimler AG, na ZF Friedrichshafen AG, na ZF do Brasil e ministrou aulas sobre liderança e gestão de mudanças na Universidade Cooperativa do Estado de Baden-Württemberg, na Alemanha. No Brasil desde 2010, fundou em 2013 a empresa Hanna Helstelä, Training & Development. Trabalha como treinadora, coach executivo e palestrante, concentrando suas atividades profissionais no desenvolvimento de liderança e de cooperação intercultural. A sua qualificação ampla em consultoria sistêmica, adquirida em cursos na Alemanha, Áustria e Suíça, é a forte base de seu trabalho. Atualmente está cursando o programa para especialistas interculturais da Academia de Pesquisa e Desenvolvimento Intercultural (IDRAcademy) do Milton Bennett em Milão, na Itália.

———-

PALESTRANTE: Lucy Linhares

TÍTULO: As “Dimensões Culturais” na análise da sociedade de classes brasileira

RESUMO: O trabalho tentará responder a questão: pode o conceito de “Dimensões Culturais” ser útil na análise das diferenças de comportamento entre classes sociais no Brasil? A pesquisa será aplicada a um número equivalente de indivíduos de diferentes classes sociais, fazendo perguntas relativas ao seu comportamento e suas justificativas, além dos padrões de comunicação preferidos no seu dia a dia. O objetivo do trabalho é o de entender se o conceito, largamente utilizado na análise das diferenças de comportamento entre indivíduos de diferentes culturas nacionais, pode ser útil na análise das diferenças internas à sociedade brasileira.

SOBRE A PALESTRANTE: Graduada em Ciências Sociais / UFRJ e Mestre em Antropologia Social pelo PPGAS, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Lucy começou sua vida profissional trabalhando com documentação de terras indígenas no Museu do Índio /RJ, e depois com documentação de terras públicas na Amazônia, sobre a qual escreveu sua dissertação de mestrado. A experiência gerada a partir dos muitos anos de exposição à culturas indígenas, radicalmente distintas da nossa, a prepararam para ingressar num campo em rápido crescimento no mundo globalizado: o Interculturalismo. Como interculturalista trabalhou durante 5 anos no American Field Service – AFS – no Brasil, e ao deixar o AFS, fundou a  ICA – International Cultural Assistance, onde desenha programas de treinamento intercultural e de desenvolvimento da diversidade para organizações nacionais e internacionais. Por duas décadas foi professora universitária e é autora de inúmeros artigos publicados em revistas do campo antropológico e em jornais do Rio de Janeiro, e co-autora do livro “Indigenismo e Territorialização”.

———–

PALESTRANTES: Rafael Guanaes e Suzana Bandeira

TÍTULO: Duas culturas e seus valores: chineses no Brasil e brasileiros na China

RESUMO: O estabelecimento de chineses no Brasil remonta há 200 anos e vivem hoje no Brasil cerca de 250 mil chineses. Nos últimos quatro anos são muitas as empresas chinesas que estão se estabelecendo por aqui. Por outro lado a presença de brasileiros (indivíduos e empresas) na China é recente e restrita apesar de a China ser hoje o maior parceiro comercial do Brasil. A apresentação mostrará quais são, em um quadro de intensificação do contato entre essas duas culturas, os encontros e desencontros entre os valores que constroem a base de cada uma dessas nações.

SOBRE OS PALESTRANTES: Rafael Guanaes é arquiteto (Mackenzie); pós-graduado em História dos Museus de Arte (MAC-USP); professor convidado especialista em Arte e Cultura Chinesa (PUC e ESPM). Coach executivo e empresarial e consultor em arte/criatividade/inovação e em desenvolvimento de pessoas. Suzana Bandeira é consultora, coach e administradora de empresas; arquiteta (Mackenzie); mestre em Administração de Empresas (PUC-SP); dedica-se ao Comércio Exterior, especializada em Negócios com a China (gestão intercultural e cadeia de suprimentos). Carreira empreendida em empresas públicas (Banco do Brasil) e privadas.

———–

PALESTRANTE: Sven Dinklage 

TÍTULO: O impacto do nível de confiança nas organizações – o caso do Brasil

RESUMO: Tanto no Brasil como no resto do mundo, tanto na sociedade como nas organizações, vivemos em uma época de pouca confiança. As consequências se manifestam em relacionamentos pouco transparentes, burocracia, fraudes, redundâncias e muitas oportunidades perdidas. Novas pesquisas mostram, no entanto, que a confiança tem um efeito mensurável, observável e relevante para as organizações, e que os líderes podem praticá-la para otimizar, consequentemente, o desempenho de sua organização. No caso do Brasil, faz-se a pergunta quais são as particularidades do povo brasileiro em termos de confiança, e como estas particularidades se manifestam hoje em dia nas relações interpessoais. Assista a esta palestra para refletir junto sobre o que pode ser feito para chegarmos a níveis maiores de confiança no nosso país, e para desenvolver esta competência chave para a criação de cooperações internacionais bem-sucedidas.

SOBRE O PALESTRANTE: Nascido na Alemanha, Sven Dinklage viveu nos EUA, Inglaterra, Espanha e França antes de fixar residência no Brasil em 1998. Depois de completar seu Bacharelado em Administração de Empresas na Universidade de Würzburg, Alemanha, em 1994, Sven se formou, em 1997, com o “Master of European Management” na ESCP Europe, Paris, França. Ele trabalhou, durante 10 anos, na industria automotiva no Brasil, onde acumulou experiências nas áreas de planejamento estratégico, marketing, vendas e projetos internacionais. Hoje, com base em sua formação de Coach pelo Instituto Ecosocial, São Paulo, em 2012, aplica sua experiência para assistir executivos internacionais / brasileiros e equipes em seu desenvolvimento profissional. Sven é facilitador certificado de companhias interculturais / internacionais, entre elas a FranklinCovey Brasil, onde é o responsável pela Prática da Confiança no Brasil.

————-

PALESTRANTE: Almiro dos Reis Neto

TÍTULO: Cultura Nacional e Cultura Organizacional: como a cultura nacional impacta o modelo de liderança e a cultura das empresas

RESUMO: Choques culturais podem comprometer a estratégia e o desempenho das organizações. Baseado nas dimensões do Modelo Hofstede, é possível preparar executivos em geral, e expatriados em especial, para trabalhar melhor em outras culturas que não a sua de origem. Desta forma, diferenças culturais podem se tornar oportunidades de aprendizado e crescimento empresarial.

SOBRE O PALESTRANTE: Presidente da Franquality e Presidente da Diretoria Executiva da ABRH-SP. É especialista nas áreas de gestão de competências, coaching para altos executivos e desenvolvimento de lideranças. Engenheiro de Produção pela Escola Politécnica da USP e pós-graduado em Gestão de Recursos Humanos pela Université d’Aix-en-Provence, França. Foi diretor da McDonald’s e do Grupo Hay. É autor do livro “Consultoria de Campo”, co-autor do “Manual de Gestão de Pessoas e Equipes” e do e-book “Desenvolvimento Acelerado de Talentos nas Organizações de Alta Performace”, e revisor técnico da impressão brasileira de “O líder Coach” de David Petersen. Conduziu palestras e workshops em organizações como o Congresso Mundial de Treinamento & Desenvolvimento, CONARH, ESARH – Encontro Sul Americano de RH, Congresso E-learning Brasil, ABF- Associação Brasileira de Franchising, Confederação Nacional dos Diretores Lojistas, FEA-USP, FGV e Poli-USP. Foi eleito, pelos profissionais de Recursos Humanos, finalista ao prêmio Top of Mind de RH 2009 como um dos cinco empresários de destaque. Entre seus clientes estão ADP, Basf, Carrefour, Copersucar, Duratex, Gerdau, Monsanto, Moura, Odontoprev, Oi, Petrobras, Santander, Suzano, Visa, e Votorantim.

————–

PALESTRANTE: Mariana de Oliveira Barros

TÍTULO: As manifestações de 2013, dentro e fora do Brasil. As visões de uma interculturalista.

RESUMO:

  • Qual seria o legado das manifestações que ocorreram em junho: um paralelo entre o Brasil e o mundo.
  • Qual seria a nossa parte, interculturalistas?
  • When change faces culture.

SOBRE A PALESTRANTE:  Mariana de Oliveira Barros é Sócia-fundadora da Differänce Intercultural Consultants  e Vice-Presidente da SIETAR Brasil. Mestre em Relações Internacionais pelo Programa San Tiago Dantas (PUC UNESP UNICAMP),  teve publicado o artigo “O fator intercultural e as negociações internacionais: desafios e particularidades da cultura brasileira”, ed. UNESP, 2011.

————–

PALESTRANTE: Claudia Piereck da Cunha

TÍTULO: Um modelo para entender diferenças culturais através da teoria dos estilos sociais

RESUMO: Muitas das dificuldades de comunicação e divergências de percepção e crenças entre povos de diferentes países, e também entre indivíduos que habitam diferentes regiões no Brasil acontecem pela diferença de perfis de estilos sociais. O objetivo desta palestra é fazer de forma prática, um paralelo entre os perfis de estilos sociais e as culturas de diferentes países e estados brasileiros de modo a ampliar a compreensão sobre as diferenças e a capacidade de interagir com diversas culturas.

SOBRE A PALESTRANTE: Claudia Piereck da Cunha é Master of Arts in Law and Diplomacy – M.A.L.D pela Tufts/Harvard University nos Estados Unidos  e graduada em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília. Coach executivo e empresarial, há mais de 15 anos presta consultoria em treinamento e desenvolvimento organizacional para empresas nacionais e globais em diversos países na América Latina, Europa e Estados Unidos. Atua fortemente em desenvolvimento de lideranças e times multiculturais. Foi Vice Presidente Residente do Citibank e Gerente de Treinamento para América do Sul da Johnson Controls Automotive.

———–

PALESTRANTE: Kristina Bodrozic-Brnic

TÍTULO: A China para além de seu sucesso econômico

RESUMO: Quando falamos de China, geralmente nos deparamos com diversas contradições. Para melhor entendê-las é importante ter em vista seus aspectos históricos e socioculturais. Ao pensarmos na economia chinesa, devemos levar em consideração suas conexões com a tradição, política, com a sociedade e com a educação. Através de diversos estudos comparativos, serão apresentados paralelos e diferenças entre os aspectos históricos e socioculturais na China e na América do Sul com o objetivo de ampliar o entendimento cultural da República Popular da China; entendimento este de extrema importância para uma melhor convivência e/ou negociação com este país.

SOBRE A PALESTRANTE: Kristina Bodrozic-Brnic é mestre em sinologia moderna e história da arte oriental pela Universidade de Heidelberg, Alemanha. Especialista em cultura moderna e contemporânea da China Continental. Radicada em São Paulo desde 2011, atua como comunicadora intercultural nas áreas de cultura e idioma chineses. Oferece cursos, consultoria e treinamentos. Em um dos trabalhos mais recentes deu treinamento sobre a obra do artista Ai Weiwei no Museu da Imagem e do Som.

Para obter mais informações acesse aqui na site da SIETAR Brasil 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s